segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Bem vinda Primavera!!!

Por Ana Paula Porto Noronha

O texto escolhido para ser apresentado hoje continua na linha do “espírito da esperança” disseminado na semana passada... No texto do dia 03/10, comentávamos sobre a esperança de que nosso país tivesse justiça, de que as pessoas pudessem confiar nas leis e nos representantes que as colocam em prática. Hoje, a matéria de Gilberto Dimenstein, na Folha de São Paulo (09 set/2007) trata da “primavera mais florida de São Paulo”. E por isso ela foi eleita.

“A próxima chegada da primavera candidata-se a entrar para a história de São Paulo. Neste ano, a mudança de estação produz uma paisagem inusitada. Articulações realizadas pelos mais diferentes grupos com distintos objetivos desembocaram, por coincidência, no fim de semana em que começa, a partir do dia 22, a primavera. Haverá, ao mesmo tempo, as seguintes mobilizações:

1. O dia mundial sem carro, uma data até agora insignificante no Brasil, está, desta vez, envolvendo centenas de entidades, muitas das quais com razoável peso político, sensíveis à reflexão sobre a necessidade de gerir com mais inteligência as cidades;
2. Grupos que desenvolvem ações contra a violência farão caminhadas para lembrar o dia da Paz;
3. Ecologistas vão lembrar (e com muitos pesares) o Dia do Tietê;
4. A Virada Esportiva, em sua primeira versão, pretende promover, por 24 horas seguidas, atividades esportivas em todas as regiões.

Não há registro, em toda a história paulistana, da programação de tantos eventos no mesmo dia (...). A chegada da primavera de 2007 traz uma exótica flor – a da resistência contra a barbárie humana (...). Uma das maiores conquistas paulistanas, de impacto nacional, foi a redução, nos últimos anos, das taxas de homicídio, em 70%, e dos latrocínios, em 90%. Sem maior eficiência policial, essas reduções seriam impossíveis. Mas, estariam muito mais lentas sem as campanhas pelo desarmamento, os programas bancados por empresários para encaminhamento de denúncias de crimes, o fechamento de bares em lugares mais violentos, e os projetos sociais que reduziram a exclusão de jovens.

O policiamento comunitário funciona, de verdade, quando tem apoio nos bairros. No Jardim Elisa Maria, por exemplo, o índice de homicídio caiu 80% nos últimos cinco meses. Tais fatos refletem não só elites mais antenadas socialmente, e mesmo políticas públicas melhores, mas também o aumento da escolaridade dos habitantes de São Paulo. Com a ampliação das matrículas nos supletivos, impulsionada pelas demandas do mercado de trabalho, hoje, cerca de 85% dos jovens de até 29 anos têm diploma de ensino médio. Essas são as flores, embora ainda sejam poucas e ainda murchas, da primavera paulistana”.


No site do escritor é possível identificar algumas reportagens que tratam de fatos recentes, sob sua ótica, que revelam sinais de uma São Paulo mais civilizada:

O Centro é uma sala de aula


Como professora que sou, recomendo alguns que abordam a educação. Dê um passeio nos endereços e sinta-se responsável por fazer a diferença!!! Bem vindo!!!.


____________________________________
Complemento – textos citados nos links acima
(postados aqui para arquivo, caso os links originais saiam do ar, mas visite os sites, onde pode-se encontrar ainda mais reportagens interessantes sobre o tema)


Projeto Centro – Escola – 29/06/2005

Veja detalhes sobre experiências do Centro-Escola: Subprefeitura da Sé transforma Centro de São Paulo em sala de aula

O projeto Centro- escola já levou mais de 6 mil estudantes a excursões pela região central. Desde abril, a Subprefeitura da Sé e parceiros têm mostrado o rico equipamento cultural da cidade aos alunos da rede municipal da região. Idealizado pela Subprefeitura da Sé, Secretaria de Educação e Cidade Escola Aprendiz, com parceria da Comgas, Santander/Banespa e Porto Seguro, o projeto-piloto está ampliando o processo de ensino e aprendizagem fora do espaço da escola no pós-aula, apresentando e valorizando o Centro de São Paulo.

A idéia fundamental de "O Centro pode ser uma sala de aula", segundo a coordenadora do projeto, professora Olga Maria Arruda Gonçalves, é ampliar a concepção de mundo e sociedade e fazer com que os alunos "descubram sua cidade, questionem seu mundo, olhem além dos muros e preconceitos, a partir de uma visão da escola integrada na vida da comunidade". As parceiras viabilizam transporte e material didático aos alunos e escolas. A Gradiente e a Videolar também fizeram doações às escolas do Centro: 20 aparelhos de DVDs e DVDs didáticos.

O projeto tem um calendário para o período de sete meses de excursões contemplando alunos de toda a rede municipal da região da Subprefeitura da Sé: 10 EMEIs; 3 EMEFs; 3 CEIs (Centro de Educação Infantil); 1 EMEE (Escola Municipal de Educação Especial) e 1 Cieja (Centro de Jovens e Adultos). Já houve visitas ao Museu Afro-Brasileiro, Museu de Arte Contemporânea, Zoológico de São Paulo, Memorial da América Latina, Sala Cinemateca, entre outros.

Centro de São Paulo educa professores da rede municipal

Os Educadores Comunitários serão responsáveis, dentro da escola, por projetos que otimizem a formação dos alunos de determinado bairro, aproveitando seu espaço de vivência e também a população local. Além de organizar atividades de pós-aula, eles desenvolvem projetos educativos e buscam parcerias com a comunidade.

O espanhol César Coll e a equatoriana Rosa Maria Torres são dois dos estudiosos que desenvolveram o conceito de Comunidades de Aprendizagem, propostos pelo Projeto Aprendiz na forma de Cidade Educadora e, ainda, Bairro- Escola. O projeto tem patrocínio da Comgas e parceria do Aprendiz, cujos monitores vão capacitar os pedagogos. O treinamento, de 120 horas, vai até dezembro, com 16 encontros, sempre em algum local do Centro (Centro Cultural Banco do Brasil, Pateo do Collegio etc). A Comgas viabilizou a capacitação dos educadores e a entrega, a todas as escolas participantes, do livro organizado pelo fundador do Projeto Aprendiz, Gilberto Dimenstein, "São Paulo 450 Anos Luz - a redescoberta de uma cidade" e de guias com sugestões de atividades didáticas.

Cada uma das 18 escolas do Centro de São Paulo escolheu seus representantes para participar da capacitação e tomar conhecimento de experiências no Brasil e no exterior; formas de elaboração de projetos; captação de recursos; experiências curriculares que usam a comunidade para re-significar as matérias tradicionais, entre outros. “Esse é um importante passo no nosso empenho para a revitalização do Centro de São Paulo”, afirma o Subprefeito da Sé, Andrea Matarazzo. “Os estudantes vivem e aprendem com a região e sua comunidade, queremos que todo paulistano faça o mesmo”, diz Matarazzo, que, com a responsável pelo projeto, Olga Arruda, estará presente no início do evento do Pateo do Collegio.

As informações são da Assessoria de Imprensa Prefeitura do Município de São Paulo - Subprefeitura da Sé.

Mapeamento de espaços ociosos para a implantação de cursos técnicos – 28/07/07

O governador José Serra determinou um mapeamento dos espaços ociosos em todas as escolas da rede pública para a futura implantação de cursos técnicos dentro de instituições que já existem.

A proposta é reaproveitar a infra-estrutura dos prédios, apenas adaptando salas de aula que se encontram vazias, economizando assim na construção de novas instituições. Os cursos serão oferecidos aos alunos do ensino médio.

A medida faz parte do novo Plano Estadual de Educação. Dez metas foram definidas com o objetivo de melhorar a qualidade das escolas da rede pública. Entre elas, destaca-se a ampliação de cursos que contemplem o mercado de trabalho.


Integração entre saúde e educação começa em dez dias – 21/08/07

O prefeito Gilberto Kassab e o secretário de Educação Alexandre Schneider se comprometem a colocar em prática o programa de integração Saúde-Escola no prazo máximo de dez dias.

Com exclusividade ao Mais São Paulo, eles disseram que o projeto piloto se iniciará na EMEI Zilda de Franceschi, localizada na Vila Madalena, zona oeste da cidade de São Paulo. A escolha deu-se em função de a escola já se relacionar com o posto de saúde do bairro.

O programa funcionará ligando as instituições de ensino municipais com as unidades de saúde da rede pública. Pediatras visitarão as escolas para realizar exame médico nos alunos. Depois de pronto o diagnóstico, os estudantes serão encaminhados para tratamento.

A medida foi anunciada depois que a prefeitura recebeu diagnósticos alarmantes feitos por médicos que atendem crianças da rede municipal de ensino. Foi levantado que 30% desses alunos sofrem de doenças de tratamento simples - como problemas de visão, audição, fala, verminoses, cárie, anemia, catapora e bronquite, entre outras - mas que, quando não sanadas, afetam o processo de aprendizagem, comprometendo assim o desempenho escolar.

Movimento Compromisso Todos pela Educação – 04/09/06

Essa semana o Brasil comemora sua independência e um grupo de empresários, representantes da sociedade civil, ONGs e órgão públicos se articulam para que a nação seja de fato independente através da educação.

O movimento Compromisso Todos pela Educação, inédito no país, pretende que a educação melhore até 2022 (data do bicentenário da independência). Um documento será lançado para estabelecer a educação como um compromisso para todos. Levantará indicadores para a população medir anualmente o desempenho do ensino. Dessa forma, dados concretos serão utilizados para cobrar do governo uma postura mais eficiente.

As cinco metas do movimento são:
1. Todas as crianças e jovens, de 4 a 17 anos, devem estar na escola;
2. Todos os alunos devem concluir os ciclos do Ensino Fundamental e Médio;
3. Todas as crianças, aos 8 anos de idade, devem saber ler e escrever;
4. Todos os alunos devem aprender, pelo menos o mínimo adequado a cada ciclo (de acordo com o Saeb);
5. A Educação deve ter a garantia dos recursos necessários para cumprir as metas de acesso, permanência e sucesso escolar.

Um comentário:

Larissa disse...

Eba!!!!!Adorei esse espaço...orgulho da tia esses dois..ahuhauha...mas adorei o novo texto...as flores ainda são murchas, mas o importante é que elas existam para nos dar esperança e beleza....fiquei até mais feliz....beijos para vcs....